Início   |   Recursos   |   Atividades   |   Projetos   |   Estrutura   |   Membros   |   Endereço

EN | PT

Metodologia

  • Os dados foram recolhidos mediante um protocolo previamente definido que incluiu o consentimento informado dos sujeitos participantes.
  • Fases de recolha:

Fase 1: entre maio de 2009 e maio de 2010

Fase 2: entre janeiro e maio de 2011

  • Os dados são de dois tipos:

1. Textos escritos

2. Informações sobre os perfis dos informantes (cf. os metadados de cada texto)

Obs. É possível descarregar os textos em formatos Word ou txt, bem como um documento Excel com os dados caracterizadores dos informantes a partir da secção "Dados" da página original do projeto.

 

Textos escritos

  • Cada produção escrita foi obtida a partir de um estímulo.
  • Foram utilizados 9 estímulos, extraídos da lista dos inicialmente propostos no projeto Recolha de dados de aprendizagem de português língua estrangeira (coord. Isabel Leiria), tendo-se optado por manter o código de identificação do estímulo original, com vista à facilitação de futuros cotejos de dados obtidos no âmbito de um e outro projetos.
  • Os 9 estímulos repartem-se, do seguinte modo, pelas três grandes áreas temáticas contempladas no projeto do Português Fundamental:

Estímulo

Código do estímulo

  • O indivíduo
 
Escreva um texto em que se apresente, em que fale das suas características físicas, da sua vida familiar, da sua casa, dos seus gostos e dos seus desejos. Se não quiser falar de si, pode inventar! 1.1A
Escreva uma carta a um amigo que não vê há muito tempo. Recorde momentos passados em conjunto e fale-lhe da sua vida pessoal e profissional actuais. 6.1B

Fale daquilo que gosta de fazer nos tempos livres.

33.1J
  • A sociedade

 
Todos os países são diferentes a nível cultural e geográfico. Descreva o seu país, observando as particularidades das suas regiões, os principais monumentos e saliente alguns dos hábitos mais frequentes da sua cultura. 50.2L
Certamente já teve oportunidade de contactar com pessoas de cultura diferente da sua. Fale de um episódio que lhe recorde esse momento, das dificuldades sentidas, das diferenças e semelhanças encontradas entre as duas culturas e das experiências que partilharam. 52.2L
Há, certamente, comidas de que gosta muito e há outras que detesta. Fale disto e daquilo que pensam os seus familiares e amigos sobre o assunto. 55.2M
  • O meio ambiente

 
Gosta de viver na cidade? Acha que, se pudesse, gostaria mais de vir no campo? Pense em vantagens e desvantagens de viver na cidade ou no campo. Escreva sobre isso. 69.3Q
Fale de meios de transporte. Fale daqueles em que já viajou e daqueles em que gostaria de viajar. Se quiser, pode contar uma viagem que tenha feito. 75.3S
Fale do bairro onde mora. Diga se gosta dele e se acha que há coisas que podiam mudar para que fosse mais agradável lá viver. 77.3T

Obs. Em certos casos, o mesmo informante produziu mais do que um texto, a partir de dois ou mais estímulos diferentes.

 

Convenções de transcrição

  • Procedeu-se, primeiro, à recolha de textos manuscritos, no âmbito de exercícios de avaliação (contínua e/ou final). Estes textos foram depois transcritos de acordo com as seguintes convenções (cf. Leiria, I. 2006 - Léxico, aquisição e ensino do Português Europeu língua não materna. Lisboa: FCG/FCT, p. 201):

< xxx > segmentos riscados

< (…) > segmentos riscados ilegíveis

/ xxx / segmentos acrescentados

/* xxx / leituras conjeturadas

  • Ocultaram-se, ainda, nomes próprios e outros elementos passíveis de permitir a reconstituição da identidade do informante com recurso à notação: XXXXX

 

Codificação dos textos recolhidos

  • A cada texto na fase 1 foi inicialmente atribuído um código de identificação, no qual constam os seguintes elementos: Língua Materna do informante. tipo de curso de PL2 frequentado pelo informante.nível da turma frequentada pelo informante. nº de identificação do aprendente.código do estímulo usado para a produção do texto

Ex: Um texto sobre atividades dos tempos livres (33.1J) produzido por um informante (01) de LM alemã (ALEMÃO) que frequentava, aquando da recolha de dados, uma turma do nível A2 destinada a alunos do programa Erasmus (ER), é identificável através do código: ALEMÃO.A2.01.33.1J

  • Nota importante para utilizadores do Corpus PEAPL2 até 3 de dezembro de 2013:
    • Os códigos de identificação das recolhas da fase 1 foram simplificados e atualizados a partir de 3 de dezembro de 2013. Para obter uma tabela de equivalência entre os códigos atuais e os anteriores, clique aqui.
  • No quadro seguinte são apresentados os códigos relativos à identificação do tipo de curso de PL2 frequentado pelo informante e os níveis das turmas nas quais se obtiveram dados. 
Cursos Código de Curso Nível correspondente no QECRL
Curso Anual de Língua e Cultura Portuguesa para Estrangeiros CA A1/A1+
    A2/A2+
    B1
    B2
    C1
Curso de Férias de Língua e Cultura Portuguesas CF A2
Língua Portuguesa Erasmus ER A1
    A2
    B1
    B2
     

 

Obs.:

  • Os públicos de cada um dos cursos apresentam perfis diferentes.
    • Enquanto as unidades curriculares de Língua Portuguesa Erasmus são exclusivamente frequentadas por alunos universitários, dos três ciclos, que apenas permanecem em Portugal durante um ou dois semestres letivos, o Curso Anual de Língua e Cultura Portuguesa para Estrangeiros atrai um público mais heterogéneo.
    • Numerosos dos alunos do Curso Anual estão em Portugal por razões profissionais e/ou familiares, encontram-se em situação de imersão, e não têm, necessariamente, formação universitária (a idade mínima para a matrícula é, aliás, 16 anos).
    • Também o contingente de alunos que procuram o Curso de Férias de Língua e Cultura Portuguesas tende a ser heterogéneo do ponto de vista etário e da formação académica, apresentando, igualmente, motivações muito diversas para a aprendizagem, em regime intensivo, do português. A maioria dos alunos do Curso de Férias não reside em Portugal.
  • A forma como se distribuem os alunos pelos distintos níveis/turmas nem sempre reflete de modo fiel os efetivos níveis de progressão linguística. Numerosas circunstâncias, alheias à organização dos cursos, contribuem para tal facto, que se faz sentir, mais particularmente, nas unidades curriculares de Língua Portuguesa Erasmus. Será útil, pois, atender igualmente aos resultados da auto-avaliação empreendida por cada informante do nível de português já alcançado em diversos domínios (cf. as informações apresentadas de seguida).

 

Perfis dos informantes

Aos sujeitos participantes foi igualmente solicitado o preenchimento de uma ficha individual. Através desta, foram coligidas as seguintes informações (auto-testemunho):

  • Dados pessoais

    • Idade
    • Sexo
    • Naturalidade
    • Nacionalidade
    • Países em que tenha vivido / quanto tempo
  • Indicações sobre a história linguística individual

    • Língua Materna
    • Língua de escolarização
    • Outras línguas não maternas (LNM) conhecidas
    • Hábitos e domínios de uso do português
    • Ano de início do estudo do português
  • Auto-avaliação do nível já atingido em português e na outra LNM que melhor domine no âmbito da:

    • compreensão do escrito
    • compreensão do oral
    • interacção oral
    • produção oral
    • produção escrita